O exercício físico e as doenças crónicas

O exercício físico e as doenças crónicas

Todos sabemos que fazer exercício físico regular traz-nos imensos benefícios para a nossa saúde como, por exemplo, ajuda-nos a ter mais força, mais energia, mais flexibilidade, controla o stress, reduz a ansiedade e até melhora a memória.

Também sabemos que reduz o colesterol, a tensão arterial elevada e várias outras doenças. Mas será que os doentes crónicos podem beneficiar com o exercício físico? Ou será que quem tem doenças crónicas devem evitar o exercício físico?

Os doentes crónicos podem fazer exercício físico?

Podem existir condições especiais a ter em atenção quando se exercita, e deve sempre aconselhar-se com o seu médico e/ou treinador para saber quais são os seus limites, mas uma doença crónica nunca deve ser um impedimento para fazer a sua atividade física regular.

Portanto, pode e deve fazer exercício físico para melhorar a sua qualidade de vida, independentemente da sua condição crónica. O exercício físico pode mesmo minimizar ou reverter alguns dos sintomas da sua doença. Vejamos alguns casos:

Colesterol

O exercício físico ajuda a reduzir os níveis de colesterol, triglicéridos e lipoproteínas LDL (conhecido por mau colesterol), enquanto aumenta os níveis de HDL(conhecido como o bom colesterol), bem como a sensibilidade dos tecidos à insulina e ainda reduz a pressão sanguínea. Portanto, se tem o colesterol elevado para além da dieta para baixar o colesterol, faça também exercício físico.

Diabetes

Caneta de insulina, instrumentos de medição de diabéticos e comprimidos.

Fazer exercício físico regular ajuda a regular a glicemia, reduzindo a necessidade de administrar insulina exógena. Portanto, se tem diabetes faça exercício físico regular para controlar melhor os seus diabetes.

Obesidade

Sabia que a obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença crónica? E não existe nenhuma dúvida de que os obesos devem fazer exercício físico regular associado a uma dieta equilibrada para conseguirem emagrecer, melhorar a sua resistência cardiorrespiratória, combater a ansiedade e a depressão, entre outras vantagens.

Dor lombar crónica

Quem tem dor lombar crónica, para além de tentar ter uma postura correta, deveria fazer exercícios de alongamento e exercícios específicos para fortalecer os músculos abdominais e glúteos, o que restaurará o equilíbrio da região lombar. Os exercícios de Pilates também ajudam a aliviar a dor.

Doentes cardíacos

O exercício físico fortalece os músculos do coração, ajudando assim a reduzir o risco de um novo episódio de doença cardiovascular. Se é doente cardíaco, fale com o seu médico ou treinador para determinar qual a atividade física que melhor se adapta a si.

Osteoporose

Se tem osteoporose não deixe de fazer exercício físico. Fazer caminhadas, por exemplo, ajuda a aumentar a densidade óssea. Os seus ossos ficam mais fortes. Fale com o seu médico ou personal trainer, adapte o seu treino à sua condição física. O exercício físico regular para além de ajudar na densidade óssea também ajuda na coordenação motora e melhora o equilíbrio, o que por sua vez faz diminuir o risco de quedas e fraturas.

Cancro

O exercício físico melhora a qualidade de vida dos doentes oncológicos, ajuda na resistência aos tratamentos assim como ajuda a reduzir o stress e a ansiedade.

HIV

Quem tem HIV também pode beneficiar com o exercício físico, pois este ajuda a melhorar tanto a saúde física como a mental. Para além de aumentar a massa muscular e a força, ajuda a reduzir os sintomas de ansiedade e depressão.

Esclerose múltipla

Para quem tem esclerose múltipla, o exercício físico ajuda na qualidade de vida em geral tanto para uma melhor função física, fortificando os ossos e aumento de força muscular como melhorias nos domínios mental e social.

Parkinson e Alzheimer

Pessoa de idade.

Tanto os doentes de Parkinson como os de Alzheimer podem beneficiar com o exercício físico regular, pois este ajuda na mobilidade e no equilíbrio, facilitando assim o dia a dia destes doentes.


Se tem uma doença crónica e não sabe quais exercícios físicos são melhores para si, consulte o seu médico. Este certamente irá aconselhá-lo qual a atividade física melhor para si conforme as suas capacidades.

Quando for iniciar o seu treino fale com o seu treinador da sua doença para ele adaptar o treino a si. O normal é começar com um treino mais ligeiro e ir aumentado a intensidade e duração de treino ao longo do tempo.

O exercício físico contribui significativamente para melhorar a saúde de quem tem doenças crónicas. Portanto, se é doente crónico, fale com o seu médico e descubra quais exercícios pode fazer para melhorar a sua saúde.


AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas a título informativo, não podendo, jamais, ser utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Também poderá gostar: