Vegetariana e grávida

Vegetariana e grávida: riscos e benefícios

Durante a gravidez, a mulher precisa de ter cuidado com o que come, visto que uma alimentação equilibrada é essencial para a mãe e o seu bebé. É nesta fase da vida da mulher que surgem as dúvidas, os medos e as inseguranças, e para uma grávida que é vegetariana e que deseja manter o vegetarianismo na gravidez levanta-se muitas vezes a questão: estará a comer corretamente?

Que riscos pode enfrentar?

Mulher grávida a segurar suplementos.

A mulher vegetariana pode encontrar alguma dificuldade em satisfazer as suas necessidades de certas vitaminas e minerais durante a gravidez, como a vitamina B2, vitamina B12, cálcio, ferro e zinco. Para compensar esta carência pode precisar de consumir suplementos, pois a gravidez tem requisitos elevados para uma nutrição completa que uma dieta vegetariana não pode satisfazer.

Para evitar a toma de suplementos de cálcio, coma, por exemplo, amêndoas, feijões e frutos secos. O zinco pode ser encontrado em alimentos como cereais integrais, aveia, leguminosas e nozes. Para obter vitamina B2 coma couve, espinafres e repolho, por exemplo. Já o ferro pode ser encontrado na beterraba ou nas lentilhas, por exemplo.

Pode ter deficiências básicas de proteínas necessárias para a criação e renovação de células, para o crescimento e formação de tecidos e para a produção de hormonas e anticorpos. Proteínas essas, que conseguiria obter ao consumir carne. Para substituir então a carne, uma grávida vegetariana pode consumir leguminosas, soja, nozes e produtos lácteos, mas isto pode causar má absorção de ferro. Por isso é muito importante a mulher grávida tomar muito cuidado ao substituir as proteínas. Consulte sempre o seu médico para ele a acompanhar em todas as fases da sua gravidez.

Quais as consequências da deficiência de vitaminas e minerais na sua gravidez?

Mulher grávida no hospital.
  • A deficiência em vitamina B12 pode aumentar o risco de aborto espontâneo, diabetes gestacional, nascimento prematuro e deformidades.
  • A deficiência em ferro pode provocar o parto prematuro e baixo peso à nascença.
  • A deficiência em cálcio pode aumentar o risco da mãe de pré-eclâmpsia, fraturas e doenças ósseas.
  • A deficiência em proteína pode retardar o crescimento e desenvolvimento do bebé.
  • A deficiência em zinco pode levar a um baixo peso à nascença, parto prolongado e parto prematuro.
  • A deficiência em vitamina B2 pode provocar anemia, hipertensão e diabetes.

Quais os benefícios de ser vegetariana?

Os vegetais ajudam no funcionamento do intestino, combate a obstipação, contribui para a ingestão de vitaminas e minerais, ajuda a prevenir hemorroidas e cria a base para uma dieta mais equilibrada tanto para a mãe como para o bebé. E como sabemos, os vegetais é algo que nunca falta no prato de um vegetariano.

Uma mulher vegetariana tem menor risco de pré-eclâmpsia na sua gravidez. A pré-eclâmpsia é uma complicação grave da gravidez associada à hipertensão arterial e lesões de órgãos e está frequentemente associada ao rápido aumento de peso e consumo de alimentos ricos em gordura saturada. Ora, numa dieta vegetariana saudável, a grávida pode proteger-se contra o desenvolvimento da pré-eclâmpsia.

A dieta vegetariana tem um elevado teor de fibras encontradas nas frutas, vegetais e grãos inteiros e um baixo teor de gordura saturada que podem reduzir o risco de excesso de peso, diabetes gestacionais, reduzir as hipóteses de se submeter a uma cesariana e a necessidade de insulina.

É seguro manter a dieta vegetariana durante a gravidez?

Mulher grávida na praia.

Claro que é seguro. Não precisa de adicionar carne à sua dieta só porque está grávida. Planeie bem as suas refeições de modo a satisfazer tanto as necessidades nutricionais do seu bebé como as suas próprias necessidades. Certifique-se que inclui na sua dieta a quantidade necessária de ovos e produtos lácteos, especialmente claras de ovos e queijo de baixo teor de sal, de modo a satisfazer a ingestão necessária de aminoácidos.

As leguminosas também são uma fonte de proteínas, mas contém um baixo valor biológico devido à falta de certos aminoácidos necessários ao crescimento. Se combinar as leguminosas com cereais como o arroz, as massas ou as batatas, por exemplo, podem ser uma boa alternativa à carne.

Não se esqueça de mencionar ao seu ginecologista e parteira de que é vegetariana para este melhor o poder orientar na sua gravidez. Com uma dieta vegetariana bem planeada pode fornecer tudo o que se precisa em todas as fases da vida, incluindo a gravidez e o aleitamento materno.

Uma dieta rica em frutas e legumes pode ajudar a proteger o corpo a vários níveis, como impulsionar o sistema imunitário, proteger o material genético de danos e fornecer quantidades adequadas de fibra para melhor regular o metabolismo.


AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas a título informativo, não podendo, jamais, ser utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Também poderá gostar: