Dieta alcalina

Dieta Alcalina: A dieta do PH

Já ouviu falar na dieta alcalina? A dieta que acredita que devemos substituir os alimentos ácidos por alimentos alcalinos. A teoria é que quando os níveis de PH do nosso corpo são controlados, podemos perder peso, diminuir o risco de doenças crónicas como o cancro e doenças cardíacas e ainda aumentar a nossa vitalidade, manter o corpo saudável, e aumentar significativamente a esperança de vida.

Esta dieta, seguida por algumas celebridades de Hollywood como a Gwyneth Paltrow ou a Jennifer Aniston, cria o ambiente certo para acelerar o metabolismo e aumentar a queima de gordura.

Assim, quem faz esta dieta come alimentos alcalinos, ou seja, principalmente fruta e legumes, para alterar o pH de todo o corpo, e não apenas do sangue.

Acredita-se que esta dieta aumenta o desempenho muscular e mantêm as células mais saudáveis. Os nutrientes são melhor utilizados, a capacidade de produzir energia nas mitocôndrias das células é aumentada e as capacidades de cura e desintoxicação do corpo são reforçadas.

Carne crua.

Por outro lado, os alimentos ácidos, acumulam resíduos ácidos no tecido adiposo, fazendo aumentar o tamanho das células adiposas, porque o corpo é obrigado a construir uma parede protetora contra a gordura, levando a quilos extra.

Então, acredita-se que os alimentos ácidos conduzem à doença enquanto os alimentos alcalinos são considerados protetores da nossa saúde. É por isso que nesta dieta é recomendado comer alimentos alcalinos e evitar alimentos ácidos.

Os alimentos ácidos são todos aqueles alimentos que têm proteínas, fosfatos e enxofre, como a carne, o peixe, os produtos lácteos, os ovos, os cereais e o álcool. Já os alimentos alcalinos são aqueles que contêm cálcio, magnésio e potássio com as frutas, os legumes, as leguminosas e os frutos secos. Também temos os alimentos neutros que são ricos em amido, em gordura e em açúcares.

Portanto, a maioria dos produtos animais devem ser evitados, tais como carne, ovos e produtos lácteos, que só são permitidos em quantidades muito pequenas ou não são permitidos de todo. O mesmo se aplica aos cereais e seus produtos como o pão. A cafeína e o álcool também não são permitidos. Os alimentos transformados e os cereais comerciais também estão fora da lista.

A Dieta Alcalina e os efeitos na nossa saúde

Legumes e fruta.

Quem tem doenças crónicas, ao seguir esta dieta, trabalha positivamente na hipertensão e nos AVC. O magnésio disponível ativa a vitamina D, que tem múltiplos benefícios para o nosso corpo.

A célula cancerígena cria as condições ácidas que necessita para crescer, ou seja, um ambiente ácido já existente provoca o crescimento das células cancerígenas. Mas as células cancerígenas também podem crescer em condições alcalinas. Ainda não foi cientificamente provado que a ingestão de alimentos ácidos conduza a um aumento do risco de cancro.

Vantagens desta dieta

Esta dieta causa um aumento da hormona de crescimento, sendo um resultado positivo para a saúde, memória e concentração.

Aumenta o magnésio dentro das células. Este é necessário para o bom funcionamento de muitos sistemas enzimáticos. O magnésio também é essencial para a ativação da vitamina D.

A alcalinidade pode também ajudar alguns agentes em quimioterapia que requerem um pH mais elevado.

A dieta alcalina e a perda de peso

De facto, a dieta alcalina pode ajudar na perda de peso porque exclui alimentos ricos em calorias e concentra-se na ingestão de frutas e vegetais. Contudo, exclui muitos alimentos considerados ácidos, restringindo muito a dieta podendo causar deficiências nutricionais.

A dieta alcalina e as crianças

Esta dieta aumenta a produção da hormona de crescimento, algo que é essencial para um desenvolvimento adequado das nossas crianças.


A dieta alcalina é definitivamente uma dieta rica em fibras e vitaminas, o que é sem dúvida benéfico para o nosso organismo, pois incentiva o consumo de frutas, legumes, leguminosas e frutos secos. Mas, não é uma dieta para todas as pessoas, pois isso excluiria grupos alimentares importantes que são igualmente úteis para o nosso corpo.

Se não tem nenhum problema a nível renal, não tem nada a temer em relação ao pH dos alimentos que se consome.

Mas, seja qual for o seu caso, fale primeiro com o seu médico antes de fazer alguma alteração alimentar, principalmente uma que restrinja alimentos da sua alimentação.


AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas a título informativo, não podendo, jamais, ser utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Também poderá gostar: